Seja bem vindo –

Notícias

Fala ininteligível (“ele fala, mas não consigo compreendê-lo”!)


Uma das manifestações clínicas da Apraxia de Fala é a ininteligibilidade. Muitas crianças são verbais, porém até mesmo os pais, referem dificuldades para compreendê-los.

Dentre as causas da ininteligibilidade de fala, é possível citar:

  • Aumento da velocidade de fala (falar rápido).
  • Falta de precisão dos movimentos de fala, omissão e substituição dos sons.
  • Contextos de comunicação desconhecidos (a criança quer contar alguma coisa que os pais não fazem ideia sobre do que se trata).
  • Produções inconsistentes.
  • Erros de vogais (criança troca, omite ou distorce as vogais).
  • Alterações de prosódia, erros de acentuação, dificuldade de entonação (melodia, ritmo da fala), tom de voz, falta ou excesso de pausas entre nas sentenças.
  • Erros residuais (principalmente para os sons: “r”, “pr”, “tr”, “lh”, etc).
  • Aumento da extensão das frases ou palavras polissílabas (quanto mais sílabas, mais difícil será para a criança).
  • Falta de generalização: no treino a criança produz bem, mas não generaliza os sons aprendidos para as situações de comunicação.  
  • Crianças que ficam ansiosas para contar suas experiências.
  • Nível de fadiga (crianças cansadas ou estressadas terão mais erros).
  • Complexidade e familiaridade com a mensagem que querem transmitir.
  • Falta da consciência da criança sobre seus erros.
  • Parceiros ansiosos e que “aceleram” ainda mais a criança.
  • Ambientes de comunicação competitivos: várias pessoas falando ao mesmo tempo.
  • Falar alto demais: pode aumentar a força dos movimentos e provocar quebras de co-articulação e na fluidez da fala.

O que fazer para melhorar a inteligibilidade/clareza da fala:
  • Garantir que a criança esteja ciente dos alvos que estão sendo trabalhados.
  • A criança precisa saber COMO produzir os alvos e quais movimentos ela precisa fazer e não simplesmente ficar repetindo sem ter consciência do que está fazendo.
  • A criança consegue se auto-corrigir? Ela tem um “lembrete” (pode ser um gesto, um desenho,  uma expressão facial, etc) para os alvos em treino ou para sinalizar que errou?
  • É importante ouvir e reconhecer os próprios erros.
  • Ela consegue “descrever” seus erros?
  • As Fonoaudiólogas precisam analisar quais sons estão afetando mais a clareza da fala e começar por estes.
  • Ajudar a criança a usar outras estratégias nas situações onde ocorrer quebra da comunicação (o que fazer quando não for compreendida).
  • Ensinar a criança a reconhecer que seu parceiro não está compreendendo-a (prestar atenção às expressões faciais, pedidos para repetir, etc).
  • Tem criança que desenvolve um padrão de fala (parece que ela fala um idioma que ela criou) e nestes casos, é preciso despertar a consciência da criança que ela não está sendo compreendida. Temos que mostrar a ela que sua fala não é clara. Mas, CUIDADO,  com as crianças mais sensíveis, com baixa auto-estima, com histórico de situações frustrantes de comunicação, etc). 
  • Para as crianças que já sabem ler, a leitura pode ser uma estratégia muito útil para ajudar na clareza da fala (destaque os sons ou sílabas ou palavras que ainda são difíceis para ela, por exemplo, marque as palavras no texto que ela terá que ter mais atenção).
  • A criança quer melhorar? Se frustra facilmente nos treinos de fala?
  • É preciso ajudarmos a criança a desenvolver auto-confiança e acreditar que pode e precisa melhorar a clareza de sua fala.
  • Incentive a criança a cantar. Cante junte com ela, mais lentamente, prologando as vogais, num ritmo suave. Se ela ainda não consegue pronunciar a palavra inteira, ela poderá cantar as sílabas ou acompanhar a melodia.
  • Outro aspecto MUITO E talvez o MAIS importante: VELOCIDADE DE FALA. Primeiro ponto: pais e fonoaudiólogos precisam falar devagar (somos modelos e espelhos para nossas crianças). Certamente falar mais devagar ajudará a melhorar o feedback da criança, a precisão dos movimentos de fala. Mas lembrem-se:  falar devagar não significa falar de forma silabada (“MA- MÃ – E) – não silabas e sim LENTIFICAR (preferencialmente use uma melodia para facilitar). Lentificar os movimentos também ajuda.
  • Geralmente, estamos sempre na correria, com pressa, principalmente as mães, que precisam fazer várias tarefas ao mesmo tempo. Se seu filho já fala rápido, essa correria o deixará ainda mais agitado e a fala ficará ainda mais rápida e menos clara e precisa.
  • Outro aspecto muito importante: depois de treinar palavras, treine também frases e com apoio de pistas visuais (por ex.  figuras, será melhor ainda).

Para algumas crianças com Apraxia de Fala, o primeiro desafio é ajudá-las a aumentar seus repertórios e depois é ajudá-las a desenvolver a clareza da fala, nas diferentes situações de comunicação. Ensine aos pais e professores as estratégias aqui descritas que certamente ajudarão. Obrigada por terem lido este post!.

Texto escrito por: Dra. Elisabete Giusti. Fonoaudióloga Infantil. www.atrasonafala.com.br. Direitos Reservados. 

 

Outros Tratamentos

Últimos artigos

veja todas as noticias

E-mail: contato@atrasonafala.com.br

Endereço: Avenida Jamaris , 100 - Cl 402 - Moema [ver mapa]