Seja bem vindo –

Notícias

Meu filho ainda não fala! O que devo fazer? Como ajudar?


"Meu filho ainda não fala"! Essa é uma queixa comum aos pais. O atraso no desenvolvimento da fala e da linguagem pode ocorrer por vários motivos, por exemplo, por problemas auditivos, neurológicos, genéticos, etc. Pode ocorrer também, da criança não apresentar nenhum problema orgânico que justifique esse atraso e aí devemos pensar nos aspectos ambientais e nos estímulos que são oferecidos à criança.

O que fazer? Algumas dicas:
 Você pode conversar com o Pediatra de seu filho sobre sua queixa e ouvir a opinião dele a respeito disso. Além do Pediatra, os pais também podem procurar um Médico Neuropediatra para uma avaliação do desenvolvimento global da criança. 

 Você pode procurar um médico Otorrinolaringologista, falar da sua queixa e verificar com ele a necessidade de fazer uma avaliação da audição. Perdas auditivas mais graves são facilmente percebidas pelos pais, mas perdas mais leves e que também prejudicam o desenvolvimento da fala, nem sempre são notadas pelos pais. Com os exames auditivos, podemos ter certeza, se realmente a criança está ouvindo bem.

 Seu filho já freqüenta pré-escola? Muitas vezes, os pais ficam receosos de colocar a criança na escola. Mas a escola pode ser uma importante fonte de estímulos para o desenvolvimento da fala e da linguagem. Visite as escolas, conheça o espaço físico, converse com a diretora ou coordenadora, peça inidcações aos seus amigos de boas escolas. Escolha uma escola que você sinta segurança em colocar seu filho.

 Como é a rotina do seu filho ou filha? Com quem ele (a) passa o dia todo?
 Como é a comunicação com a criança? Como a mãe e o pai “conversam” com a criança? Vocês estimulam a fala? E a babá? Os pais estão ansiosos quanto ao desenvolvimento da fala? A criança pode perceber a ansiedade dos pais e isso pode prejudicar o desenvolvimento da fala. Outros aspectos que os pais podem observar são: a criança tem uma boa compreensão? Ela entende as situações do dia-a-dia? Ela sabe brincar bem? Ela aprende com facilidade o que é ensinado pra ela? Ela demonstra interesse em se comunicar? Ela consegue imitar ou tenta imitar sons verbais? Ela demonstra que "tenta falar" mas não consegue ou ela parece "estar acomodada", sem muito interesse para falar?

 É importante que a criança tenha contato com outras crianças. Isso favorece a socialização, a imitação, a interação e todos estes aspectos também contribuem para o desenvolvimento da fala e da linguagem. Seu filho ou filha tem contato com outras crianças? A interação é adequada?

 Sempre que houver dúvidas e queixas a respeito do desenvolvimento da fala e da linguagem, é importante os pais procurarem um Fonoaudiólogo Especialista em Linguagem Infantil, para realizar uma avaliação fonoaudiológica. A partir desta avaliação é possível verificar se o desenvolvimento está adequado ou não e organizar um Programa de Orientação sobre as atitudes e estratégias que podem ajudar no desenvolvimento da linguagem.  

 Cuidado com as informações da internet. Hoje em dia temos a facilidade de acesso à internet, porém, precisamos sempre analisar cuidadosamente a fidedignidade do que lemos.

Orientações gerais de como ajudar, crianças que ainda não falam...

Fiquem atentos à mensagem que a criança quer passar e traduza-as em palavras. Por exemplo, quando a criança olha e começa a mexer as pernas, olhe pra ela e interprete o que ela quer dizer. “Ah, você quer vir com a mamãe!” “Ah sim, já vou pegar você!”. Traduza os gestos, as ações, os olhares em palavras. A criança precisa de modelos corretos de fala. 

Não atenda prontamente aos gestos. Incentive a criança, a falar. “O que você quer?” Assim que ela emitir algum som devolva pra ela o modelo: “Ah você quer a bola?”; Se a criança apenas olhar para um objeto e os pais já atenderem, ela não sentirá a necessidade de falar. 

Nomeie os objetos, fale do seu você está fazendo, por exemplo, enquanto você prepara o almoço “Uhh, agora nós vamos comer! Uhh que fruta gostosa”.

Evite usar diminutivos ou a fala de bebê. Quando usar, não deixe de dar o modelo correto. Por exemplo: “Ah você quer papá” ...”você quer comer? Ou “Olha o au-au! O cachorro!”

Imite os sons que a criança produzir. Brinque de imitar sons, olhe pra ela, deixe-a observar os movimentos de sua boca.
Brinque, imite ações nas brincadeiras. Seqüencialize ações.

Leia livros de histórias infantis. Escolha livros com figuras grandes, coloridas. Leia com entusiamo, de forma clara, simples, olhando para a criança, imite os sons dos personagens. Crie uma sitação agradável e prazerosa à criança. 

Utilize bastante “melodia na fala” (entonação), expressões faciais, enquanto você conversa com a criança.

“A principal ferramenta que a criança precisa para adquirir a linguagem é VOCÊ!”
(K. Apel, PhD, First, Three Years).

Texto elaborado por: Dra. Elisabete Giusti
 

Outros Tratamentos

Últimos artigos

veja todas as noticias

E-mail: contato@atrasonafala.com.br

Endereço: Avenida Jamaris , 100 - Cl 402 - Moema [ver mapa]